Que tipo de sociedade queremos?

Que tipo de sociedade queremos?

 

No último 14 de maio, no IBMEC-BH, a servidora Giovana Rodrigues abriu o pré-evento da Colmeia da Inovação, contando como surgiu a iniciativa da Colmeia, suas relações com a Guerrilha do servidor, bem como com o Projeto Brasil 2030.

Giovana mostrou que uma rede bem ampla de servidores e membros da sociedade civil, apaixonados pelo país, está se conectando para fomentar um novo jeito de servir ao público e cocriar soluções para os principais desafios públicos.

Apresentou também a relação do evento com os Objetivos Fundamentais da República do Brasil, destacando que erradicar a pobreza e reduzir as desigualdades é um dos quatro objetivos.

Jonathan Souza, coordenador do evento, complementou a apresentação da Giovana, mostrando alguns dados críticos sobre a desigualdade no país, como o fato de os 10% mais ricos possuírem 39% da renda bruta nacional.

 

“Qual tipo de sociedade queremos?”

Em seguida, a professora Carla Bronzo iniciou sua apresentação no pré-evento, demonstrando que a pobreza tem uma dimensão ética que deve ser avaliada a partir da segunite pergunta: “Qual tipo de sociedade queremos?”

Carla Bronzo é professora e pesquisadora da Fundação João Pinheiro, sendo uma das principais especialistas do país no tema pobreza e estratégias de superação da mesma.

Ela apresentou aos participantes do evento algumas das principais linhas de pesquisa existentes sobre esse assunto. Mostrou que a pobreza vai muito além da dimensão financeira, devendo ser considerados aspectos territoriais, psicológicos, culturais, etc.

carla bronzoA própria narrativa sobre o que é pobreza pode servir de barreira para a construção de soluções efetivas para a superação da mesma. Além disso, seria preciso prestar a atenção também nas diferentes compreensões e disposições psicológicas da população que vive em condição de pobreza.

Conforme relato de um dos participantes, é comum algumas mães de adolescentes pobres encararem programas como o ENEM, PROUNI etc., algo para rico, gerando um obstáculo para que esses jovens acessem de fato programas que poderiam servir como plataforma para superação da pobreza.

Ao final de sua apresentação, ficou claro que a intersetorialidade é elemento essencial para construção de políticas públicas para superação da pobreza. O desafio é fazer o grupos e órgãos realmente atuarem de modo coordenado. Para ela, lidar com a pobreza lembra o cubo mágico: se não fizer direito um lado, atrapalha o outro.

 

Quem somos? O que sabemos? Quem conhecemos?

Em seguida, Jonathan Souza, apresentou a metodologia Effectuation, criada pela  Dr. Saras Sarasvathy. Essa metodologia mostra como nós subaproveitamos um conjunto de oportunidades que já estão disponíveis no nosso dia-a-dia. Ficou claro que mesmo pessoas muito bem capacitadas falham nesse aspecto.

A metodologia effectuation é uma forma forma de lidar com um futuro que é imprevisível.

jonathan

Entre seus princípios essenciais estão:

a) Primeiramente caracterize bem “quem você é”, “o que sabe” e “quem você conhece”. A partir daí, imagine as possibilidades que emergem.

b) Tem a exata consciência das perdas toleráveis a cada passo. Desse modo, você já saberá como lidará com uma perda eventual.

c) Explore contigências. Enxergue nos resultados não esperados oportunidades.

d) Obtenha pré-comprometimentos de parceiros, antes de avançar em um empreendimento. Isso reduz riscos e abre espaços para cocriação durante o processo de alavacagem.

e)Conduza esses princípios simultaneamente, utilizando cada um conforme o necessário se mostra favorável.

 

Mais Favela, da educação empreendedora para a inclusão social

Na parte da tarde do evento, João Souza apresentou o projeto Maisfavela.org, uma interessantíssima iniciativa cujo propósito é oferecer educação empreendedora para possibilitar a inclusão social.

O fa.vela é uma organização sem fins lucrativos, que atua em três frentes principais:

PIPA – PROGRAMA DE INTERVENÇÃO PARTICIPATIVA EM AGLOMERADOS

O PIPA ajuda pequenos empreendedores a construir planos de vida para tirar os seus sonhos e negócios do papel. Cada ciclo dura 8 meses e divide-se em três fases: Aprendizagem, Aceleração, Dinamização do território. O objetivo final é dinamizar a economia local!

FALA FA.VELA

Um momento para conhecer as histórias de vida (e sucesso!) que ecoam nos becos, de pessoas que transformaram o desafio da exclusão social em oportunidades de desenvolvimento pessoal e profissional.

FA.VELA Escola

É o braço de capacitação e ensino do FA.VELA! A Escola oferece cursos, treinamentos, oficinas e vivências que buscam desenvolver as capacidades dos envolvidos por meio da criatividade, empreendedorismo e inovação.

Banco Comunitário Esmeralda

Os presentes também tiveram a oportunidade de conhecer o banqueiro comunitário, João Lopes,  e a iniciativa do Banco Comunitário Esmeralda.

Por meio dessa iniciativa, o objetivo é incluir no sistema financeiro a população e o empreendedores locais, bem como fortalecer mecanismos endógenos de desenvolvimento local.

Ele explicou como funciona a moeda esmeralda, bem como as linhas de crédito existentes no banco. Por meio de avais comunitários, é possível acessar créditos sem juros ou bem abaixo dos valores oferecidos pelo mercado.

Todo o processo é reconhecido pelo Banco Central e estimulado por programas do governo federal.

 

Resolução de desafios associados aos cases

Ao final do evento, os participantes foram desafiados a usar os conhecimentos obtidos no evento para ajudar a alavancar os projetos do Fa.vela e do Banco Esmeralda.

desafio
Os participantes focaram na metodologia Effectuation e apresentaram várias oportunidades para ambos projetos.

Notou-se que ambos os projetos são excelentes rotas de saída para o Programa Bolsa Família e que é preciso aproximá-los dos projetos de extensão e das empresas juniores das universidades, bem como de outras iniciativas de fomento ao empreendedorismo de alto impacto.

Todos os participantes sinalizaram gostar muito do evento, tanto que o Fa.vela e o Banco Comunitário resolveram ser co-organizadores da Colmeia. É isso aí.

Aguardem as novidades. A colmeia, especial Erradicação da Pobreza e Redução das Desigualdades, já começou!

 

 

Compartilhe:

Deixe um comentário

Nome (obrigatório)
Email (obrigatório)
Comentar (obrigatório)

Você pode usar tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>